Os Trapalhões no exterior

 

 

OS TRAPALHÕES EM PORTUGAL (1995-1997)



Depois da morte de Mussum em 1994, o programa Os Trapalhões ainda sobreviveria alguns meses no Brasil. Em 1995 o programa acabou por aqui, mas continuou com a dupla Renato Aragão e Dedé Santana em Portugal.

Os Trapalhões em Portugal foi produzido entre 1995 e 1997 pela emissora portuguesa Sociedade Independente de Comunicação (SIC), famosa por sua forte ligação com a TV Globo (A SIC exibe programas e telenovelas brasileiras por lá. Até o logo da emissora foi criado por uma figurinha carimbada global: Hans Donner).

Os Trapalhões em Portugal levava a mesma fórmula do programa consagrado no Brasil com algumas adaptações para a realidade dos portugas. Piadas e alguns musicais, por exemplo, sofriam alterações para termos, regiões e cidades da terrinha.

Além da dupla Renato Aragão e Dedé Santana (Lá também chamados de Didi e Dedé), havia a presença de Roberto Guilherme (Chamado no programa e conhecido entre os portugueses somente como Pincel) e atores portugueses. Convidados completavam o casting do programa, que após seu término ficaram muito conhecidos por lá como, por exemplo, Cristina Möhler e a cantora Bárbara Barradas.

Os Trapalhões em Portugal teve relativo sucesso entre os lusitanos sendo lançado até vários VHS de momentos do programa. Uma pena que os portugueses não tenham convivido com o humorismo de Mussum e Zacarias também.

Abaixo alguns momentos do programa Os Trapalhões em Portugal.

 

A cantora portuguesa Bárbara Barradas (Ainda criança no programa) ao lado de Renato Aragão e Dedé Santana em 1995.

 

Cristina Möhler atuando ao lado de Ananias, famoso personagem criado por Renato Aragão.

 

Margarida Reis atuando ao lado de Renato Aragão e Roberto Guilherme.

A imagem ao lado é de um vídeo lançado na emissora portuguesa SIC promovendo a venda de fitas VHS do programa Os Trapalhões em Portugal.


Obs.: Grandes superfícies é uma expressão do português europeu e africano, pois no português brasileiro ninguém diz esta palavra ao se referir às vendas.

Segundo o site angolano Direção Nacional do Comércio, "grandes superfícies comerciais são infra-estruturas de comércio por grosso* ou retalho** com uma superfície comercial de 200m² ou o conjunto de estabelecimentos de comércio a retalho e por grosso que, não dispondo daquela área contínua, integram no mesmo espaço uma área de venda superior a 200m² [...] e classificam-se em hipermercados, centros comerciais, supermercados, minimercados etc."

*comércio por grosso = atacado

**comércio a retalho = varejo



 Agradecimentos especiais pelas imagens acima (exceto as de Cristina Möhler e Margarida Reis) aos usuários Alextexy1 e Lusitania TV, ambos de Portugal.


 

BRAZILIAN STAR WARS (1978)


Não se trata de outro filme dos Trapalhões e nem mesmo de um filme perdido ou de uma versão fan cut. Trata-se da mesma produção Os Trapalhões na Guerra dos Planetas produzida em 1978 e de grande bilheteria no cinema nacional; bilheteria explicável apenas pelo grande sucesso do quarteto na TV Globo, pois o filme é cansativo, mal-feito e a história é falha em muitos aspectos.

Não é estranho, nem mesmo na época de sua exibição, que este filme é uma paródia de Star Wars (Guerra nas Estrelas em português), sucesso mundial um ano antes.

O nome Brazilian Star Wars (Ou Star Wars brasileiro) foi como esta produção dos Trapalhões ficou conhecida no exterior, principalmente nos países que têm o inglês como idioma oficial e, mais especificamente, entre os fãs da saga Star Wars.

O título não é oficial, conforme se observa nas capas dos DVDs não originais fora do Brasil. Foi batizado assim ainda na década de 1990 com certeza por algum fã gringo de Star Wars que desconhecia os Trapalhões.

Mas, provavelmente, o título Brazilian Star Wars foi dado como referência a outro filme: Dünyayi Kurtaran Adam, filme turco de 1982 que parodia também a saga galáctica e conhecido mundialmente como Turkish Star Wars (Ou Star Wars turco). Foi adquirido pelos fãs muito antes de Os Trapalhões na Guerra dos Planetas.

É constante fora do Brasil se referirem a Os Trapalhões na Guerra dos Planetas como uma péssima paródia de Star Wars e uma precaríssima produção com efeitos especiais toscos. Não estão errados, pois isso já era observado por muitos aqui. Em um DVD não original do filme, o verso do mesmo em inglês diz que "enredo, efeitos especiais e filme são ruins" e tratam os Trapalhões apenas como "os quatro personagens". Resenhas do filme por aí afora chamam o quarteto de The Tramps ou The Blangers.

No mesmo DVD, a única imagem de um membro do quarteto está na contracapa e é a de Dedé Santana. Se conhecessem o grupo, com certeza colocariam, pelo menos, a de Renato Aragão, o "trapa-líder".

Apesar de tudo isso, alguns cinéfilos daqui garantem que o filme virou cult (Muito cultuado) no exterior. Uma raridade lá fora disputada a tapa pelos fãs estrangeiros de Star Wars.

 

:: Confira sinopse, fotos, ficha técnica e curiosidades do filme ::



Banner de divulgação (Tamanho 468x63)


© Copyright - Página feita no Brasil - Desde 15 de dezembro de 2008

Melhor visualização em telas de 1280x768