Os Trapalhões na Serra Pelada

 

OS TRAPALHÕES NA SERRA PELADA (1982)

    

Renato Aragão, Dedé Santana, Antonio Carlos "Mussum", Mauro Gonçalves "Zacarias".

   

Atuações especiais: Gracindo Junior (Como Chicão), Louise Cardoso (Como Lilian), Ana Maria Magalhães (Como Anaí).

  

Atuações especiais: Felipe Levy (Como Von Bermann), Eduardo Conde (Como Bira), Wilson Grey (Como Rufino).

Participação especial: Nilson Silva (Como o índio Caú).

 

Sinopse: Após verem uma grande pepita de ouro nas mãos de uma dançarina, os Trapalhões vão à Serra Pelada em busca do precioso metal. No entanto, deparam-se com as explorações do capanga Bira e das pretensões ilícitas do estrangeiro Von Bermann na região.

Ficha técnica:

- Direção: J. B. Tanko.

- Produção: Renato Aragão Produções.

- Elenco: Renato Aragão, Dedé Santana, Antonio Carlos "Mussum", Mauro Gonçalves "Zacarias", Gracindo Junior, Louise Cardoso, Ana Maria Magalhães, Eduardo Conde, Wilson Grey, Castro Gonzaga, Felipe Levy, Dary Reis, Paulo Ramos, Rosina Malbovisson, Breno Bonin, Antônio Carnera, Ivan de Almeida, Carlos Felipe, Toninho Vasconcelos, Alberto Guerra, Radar, Cris Borges. Apresentando o garoto - Nilson Silva (Como Caú).

- Argumento: Renato Aragão.

- Roteiro: Gilvan Pereira.

- Música: Sivuca, Paulinho Tapajós e Renato Aragão.

- Montagem: Jaime Justo.

- Diretor assistente: Vitor Lustosa.

- Som direto: Vitor Raposeiro.

- Produtor executivo: Del.

- Diretor de fotografia: Antonio Gonçalves.

- Produtor: Renato Aragão.

- Duração: 88 min.

 

Público: 5 milhões e 051,9 mil espectadores*

(*Dados da Embrafilme S.A.).

 

Curiosidades:

- Os personagens principais deste filme são Curió (Didi), Boroca (Dedé), Melexete (Mussum) e Bateia (Zacarias). O curioso é que todos estes nomes estão relacionados ou com a garimpagem ou com a região da Serra Pelada: curió (Uma ave nativa da Floresta Amazônica brasileira), boroca (bolsa/mochila usada pelos garimpeiros), melexete (local onde se despeja a lama após esta passar pela caixa onde se retira o ouro) e bateia (bacia de madeira em formato afunilado onde se lava o ouro).

- Ainda falando no nome dos personagens, há um erro no DVD Os Trapalhões na Serra Pelada (da Europa Filmes). O verso do mesmo traz o personagem interpretado por Mussum com o nome de "Mexelete" em vez de Melexete.

- Dentro do filme, o personagem de Zacarias é Bateia. Porém, quando os Trapalhões chegam à Serra Pelada, o personagem de Mussum o chama de Zacarias. A cena acontece quando Zacarias tapa os olhos por estar com vergonha, pois nunca tinha visto antes uma "serra pelada".

- Ficou bastante conhecida - e enigmática e atemorizante também! - a frase que aparece nas cenas após os créditos iniciais: "Serra Pelada antes da intervenção federal". Após diversas confusões e mortes no local, a região da Serra Pelada foi ocupada pelos militares em 1981. Por esse pensamento, leva-se a crer que as cenas do quarteto na região foram gravadas nesse ano. Porém, Os Trapalhões na Serra Pelada foram o segundo filme do grupo produzido em 1982 (O primeiro desse ano foram Os Vagabundos Trapalhões) e é por esse motivo que se diz que foi gravado mesmo só nesse ano. O que se sabe realmente é que as cenas fora do ambiente visível do aglomerado humano da Serra Pelada foram executadas em Jacarepaguá (Bairro da cidade do Rio de Janeiro), mais especificamente na região do Sítio do Capim Melado. 

Assista abaixo ao vídeo da abertura do filme

 

- A dívida dos Trapalhões em menos de um dia de garimpo foi de um milhão trezentos e vinte mil cruzeiros (Cr$ 1.320.000) o que equivaleria hoje a mais ou menos quatrocentos e oitenta reais (R$ 480). 

- O filme traz a participação especial do cantor paraibano Sivuca (1930-2006), famoso pela intimidade que tinha com a sanfona. Aparece no início do filme na cena da dançarina com inúmeras cédulas de dinheiro pregadas em seu corpo e durante a execução da música "Procurei Tereza".

- Na música "Procurei Tereza", Dedé menciona o nome de várias cidades brasileiras. Uma delas é Teresina, minha cidade natal. Outras cidades mencionadas foram Caxambu (Minas Gerais), Sorocaba (São Paulo), Botucatu (São Paulo) e Caravelas (Bahia). Também foram mencionadas as serras Negra (Sergipe e Bahia) e Pelada (Pará) e o bairro do Tatuapé (Cidade de São Paulo).

- As músicas do filme foram lançadas na íntegra no LP Os Trapalhões na Serra Pelada, em 1982, pela Som Livre.

- A camisa que Zacarias veste no garimpo da Serra Pelada é a do uniforme número 2 do Sport Club Corinthians Paulista. O curioso é que a que Zacarias usa não possui número nas costas.

- As cenas finais do filme, onde o Exército vence o bando de Von Bermann, levou a crer que os Trapalhões fizeram algum tipo de propaganda do regime militar, ainda em vigor no ano de 1982 (O último presidente militar, João Baptista Figueiredo, só sairia do cargo em 1985). É compreensível o fato de que fazer filmes nessa época era muito dificultoso em virtude dos parcos incentivos ao cinema nacional e, nesse contexto, valia tudo para facilitar os incentivos e a distribuição da produção pela Embrafilme, órgão do Governo Federal com essa função. Mesmo assim, foi desnecessária aquela inserção, inclusive a de Curió (Renato Aragão) fazendo continência e movimentos de apoio aos militares. Isso porque se a trama abordava a exploração da terra (Visível nos gritos de "Justiça social" por Anaí e alguns outros indivíduos), ela acabou por retirar alguma responsabilidade do Governo Militar na injustiça fundiária ao colocá-lo como o grande salvador/herói do filme. E isso justamente em um período onde já se clamava pela Redemocratização.

 


Banner de divulgação (Tamanho 468x63)


© Copyright  - Página feita no Brasil - Desde 15 de dezembro de 2008

Melhor visualização em telas de 1280x768