Os Heróis Trapalhões - Uma Aventura na Selva

OS HERÓIS TRAPALHÕES - UMA AVENTURA NA SELVA (1988)

Renato Aragão, Dedé Santana, Antonio Carlos "Mussum", Mauro Gonçalves "Zacarias".

Atuações especiais: Angélica, Grupo Dominó (Marcos, Afonso, Nill, Marcelo), Luma de Oliveira (Como Maia).

Atuações especiais: Paulo Figueiredo (Como o Sub-comandante Madeira), Geraldo Del'Rey (Como o Rei), Carlos Koppa (Como Cicatriz).


Sinopse: Angélica, a filha do ministro do Exército, é raptada pelo Rei. O vilão pretende explodir uma bomba - com uma cápsula radioativa - bem no coração da Floresta Amazônica caso o ministro não lhe entregue 15 milhões de dólares, armas, alimentos e munição em 72 horas. Em troca da liberdade, Didi, Dedé, Mussum e Zacarias são convocados para o resgate da moça.

Ficha técnica:

- Direção: José Alvarenga Jr.

- Produção: Renato Aragão Produções, Art Films, DEMUZA, Cinematográfica Sul, Ponto Filmes.

- Elenco: Renato Aragão, Dedé Santana, Antonio Carlos "Mussum", Mauro Gonçalves "Zacarias", Grupo Dominó, Luma de Oliveira, Angélica, Geraldo Del'Rey, Castro Gonzaga, Paulo Figueiredo, Percy Ayres, Carlos Koppa, Breno Morani, Mac Suara, Rui Leal, Chico Expedito, Mário Alimari. Participações especiais: Thelma Reston e Maria Helena Dias.

- Argumento: Renato Aragão.

- Roteiro: Paulo Andrade, Mauro Wilson, Carlos Alberto Diniz, Yoya Wurch.

- Colaboração: Dedé Santana.

- Trilha musical: Renato Aragão.

- Som direto: José Tavares.

- Edição de som: José Moreau Louzeiro e Carlos Cox.

- Efeitos sonoros: Geraldo José.

- Efeitos óticos e visuais: Alberto Magno.

- Diretor assistente: Dedé Santana.

- Montagem: Diana Vasconcellos.

- Direção de arte: Yurika Yamasaki.

- Direção de fotografia e câmera: Nonato Estrela.

- Produção executiva: Carlos Alberto Diniz e Wilson Solon.

- Produtores delegados: Marcos Aurélio Marcondes e Antonio Passos.

- Co-direção: Wilton Franco.

- Duração: 82 min.


Público: 3 milhões e 639,3 mil espectadores*

(*Dados da Embrafilme S.A.).

Curiosidades:

- Antes dos créditos inicias do filme há a inscrição com o nome "Patrocínios com benefícios da Lei Sarney". A Lei Sarney - como ficou popularmente conhecida a lei nº 7505/86 - garantia incentivos fiscais à cultura nacional. Foi regulamentada em 3 de outubro de 1986 e durou até 1990, ano em que se descobriu que ela estava possibilitando fraudes em torno de milhões em dinheiro.

- Os patrocinadores com os benefícios da tal lei acima eram Tintas Ypiranga, Alba Química, Indústria e Comércio Ltda., Rohr S.A. Estruturas Tubulares, Indústria Rotativa de Papeis Ltda., Transporte Confiança, Expresso União, Sylvania - Gte. do Brasil e Casas Pernambucanas. Todos existem ainda hoje.

Assista abaixo ao vídeo da abertura do filme

 

- Dentro da produção aparecem merchandisings da Pepsi e da Rohr, bem no instante em que Zacarias surge pela primeira vez no filme. Também o merchandising da Pepsi aparece quando Didi pilota o tanque do Exército.

- Na árvore em que Didi dorme é possível ver uma bandeira do Vasco da Gama. E na Floresta Amazônica, ele retira da sua bolsa um pinico, um pé-de-pato, seu papagaio Juvenal e...uma camisa da equipe carioca. As cenas não são à toa: Renato Aragão é torcedor do Vasco.

- O filme tem ainda as participações especiais do falecido ator Percy Ayres, interpretando o Ministro do Exército, e da atriz Thelma Reston, dona de um farto par de seios.

- Os Trapalhões mais uma vez utilizaram personalidades do momento como é o caso da modelo Luma de Oliveira, inicialmente famosa por desfilar semi-nua no Carnaval carioca de 1987. O filme explorou sua imagem através de duas cenas sensuais: uma onde ela aparece só de calcinha e sutiã, e outra com camiseta molhada à beira do rio. Outras personalidades do momento presentes nesta produção são Angélica e o grupo Dominó.

- O ator Carlos Koppa é muito conhecido do público por sua atução no humorístico A Praça é Nossa, no SBT, interpretando um tipo a cada programa ao lado de Canarinho.

- Aparecem no filme duas músicas cantadas pelo grupo Dominó: Hey Baby e Nada pra mim, ambas do músico Edgard Poças, sendo que a primeira é uma versão em português da música de mesmo nome escrita por Margaret Cobb e Bruce Channel, gravada pela primeira vez em 1961 e regravada por diversos músicos sendo DJ Ötzi o mais recente.

Assista abaixo ao vídeo do Dominó cantando Nada pra mim


Banner de divulgação (Tamanho 468x63)


© Copyright - Página feita no Brasil - Desde 15 de dezembro de 2008

Melhor visualização em telas de 1280x768