Curiosidades: parte III

 

 

Quantos discos os Trapalhões já gravaram?

Juntos, os Trapalhões já lançaram 16 LPs (Ou discos de vinil). Nos dois primeiros de 1974 e 1975, só aparecem Renato Aragão e Dedé Santana nas capas, apesar de que nessa época o quarteto já estava formado. E no LP O Forró dos Trapalhões (1981), Mussum não aparece na capa e nem mesmo nas trilhas sonoras. O motivo era porque o trapalhão, nessa época, ainda tinha contrato exclusivo com a gravadora RCA.

 

Os Trapalhões Vol. 1

1974

Os Trapalhões Vol. 2

1975

Os Trapalhões na TV

1979

Os Forró dos Trapalhões

1981

Os Saltimbancos Trapalhões

1981

Os Vagabundos Trapalhões

1982

Os Trapalhões na Serra Pelada

1982

O Cangaceiro Trapalhão

1983

Os Trapalhões e o Mágico de Oróz

1984

Os Trapalhões

1984

A Filha dos Trapalhões

1984

Os Trapalhões no Reino da Fantasia

1985

Os Trapalhões no Rabo do Cometa

1985

Os Trapalhões - Super-Heróis Brasileiros

1987

Os Trapalhões - Parque de Diversões

1988

Os Trapalhões - Amigos do Peito

1991

 

Qual o significado do programa número 310 dos Trapalhões?

 

O programa número 310 dos Trapalhões foi ao ar no dia 1º de janeiro de 1983. A TV Globo resolveu encerrar sua programação de fim de ano com um especial de mais de 50 minutos dedicado aos 18 anos de amizade e parceria entre Renato Aragão e Dedé Santana.

Conforme apresentação inicial do humorista Chico Anísio, a história se realiza no longíquo ano de 2008. Este ano, segundo a história, é moderníssimo e as novas tecnologias se veem logo de cara.

Neste futuro, Didi e Dedé estão velhos e brigados um com outro. Mussum e Zacarias já morreram. Os filhos destes últimos estão vivos e são eles que terão de convencer os humoristas a participar de um especial e, consequentemente, voltarem a se falar.

Perceberam a semelhança entre os fatos? Zacarias faleceu em 1990 e Mussum em 1994. Renato Aragão e Dedé Santana só se "reconciliaram" em...2008!

Com a popularidade da internet nos anos 2000, esse especial de 1983 ficou conhecido entre os fãs como a premonição ou a previsão do futuro. Na verdade, tratou-se apenas de uma grande coincidência.

 

Quem dirigiu mais vezes os filmes dos Trapalhões?

 

Detalhe de um documentário sobre o cineasta J. B. Tanko

O iugoslavo Josip Bogoslaw Tanko, mais conhecido por J. B. Tanko, nascido na cidade de Sisak (Atualmente pertencente à República da Croácia), dirigiu 10 filmes dos Trapalhões entre 1973 e 1987. Adriano Stuart e José Alvarenga Jr. dirigiram cada um 05 filmes dos Trapalhões e ocupam a segunda posição.

Tanko iniciou cinema ainda na década de 1930 filmando produções na Alemanha e na Áustria. Chegou ao Brasil, mais especificamente ao Rio de Janeiro, na década de 1940 fugindo da II Guerra Mundial. Estando no país, realizou inúmeras produções cinematográficas nos estúdios da Cinédia, Atlântida e Herbert Richers com Grande Otelo, Ankito, Ronald Golias, Jô Soares, os Trapalhões entre outros.

Seu último filme foi justamente ao lado do quarteto: Os fantasmas Trapalhões, em 1987. Faleceu em 1993, aos 87 anos, vítima de infarto.

Quantas vezes os Trapalhões já fizeram participações especiais em outras produções?

É difícil dizer quantas vezes os Trapalhões já fizeram crossovers, termo em inglês para caracterizar a interação de personagens em outras produções. No entanto, é possível listar pelo menos algumas destas participações especiais em outros programas, talvez as mais marcantes. Veja algumas delas:


- Em 1987, na última temporada do Viva o Gordo, os Trapalhões Dedé, Mussum e Zacarias tentam conversar em vão com Araponga (Jô Soares), conhecido por sempre repetir o bordão "Queeeem?" ao telefone. Só Didi consegue retirar outras palavras do seu restrito vocabulário. Mas no final nem ele sabia com quem estava falando.

- Quando os Trapalhões visitaram Ofélia (Sonia Mamede) e Fernandinho (Lúcio Mauro).

- Os Trapalhões também estiveram presentes no seriado Armação Ilimitada na temporada de 1985. Na ocasião, uma amiga de Juba (Kadu Moliterno) e Lula (André de Biase) sofre um acidente e vai parar no hospital. Vendo vários médicos saindo sujos de sangue, os amigos pensam o pior e correm para ver o que aconteceu. E se deparam com os Trapalhões fazendo umas de suas micagens: comendo sanduíche com muito catchup.

- Na telenovela O Dono do Mundo (TV Globo, 1991). Rodolfo (Kadu Moliterno) diz a Stella (Glória Pires) que quer lhe apresentar uns amigos. E os amigos em questão são Didi, Dedé e Mussum (Zacarias havia falecido um ano antes). Na festa, eles também bateram um papo com Felipe (Antonio Fagundes).

- A Escolinha do Professor Raimundo de 1991 também teve a participação dos humoristas. O grupo completava 25 anos e Chico Anísio fez uma homenagem a Zacarias emocionando o trio Didi, Dedé e Mussum.

Assista abaixo ao vídeo de Araponga e os Trapalhões no Viva o Gordo exibido no canal a cabo Viva



Existiu mesmo um personagem chamado Chapolão Preto?

É muito famosa na internet a história de que em 1991 os Trapalhões resolveram fazer uma paródia do super-herói Chapolin Colorado. Mussum teria interpretado o polegar vermelho. E o herói era preto e, pela lógica, se chamava Chapolão Preto.

Particularmente, nunca vi esse personagem, nem me lembro de tê-lo visto quando criança. Claro que o fato de eu não ter visto não prova que não exista. Mas o fato concreto é que não há vídeos desse personagem na internet, só gente dizendo que viu. É aquele famoso caso da produção que todo mundo diz que existe, mas não se vê em lugar nenhum.


Reprodução de como pode ter sido Mussum como o Chapolão Preto.

Mas há quem jure ter visto. No antigo e saudoso site Tinha que ser o Chaves!, o folclórico Igor C. Barros escreveu que existiu sim tal personagem parodiando o Chapolin. Mussum, segundo Barros, teria até dito a frase "Eu, o Chapolão Preto". A série dedicada aos 25 anos de Chaves e Chapolin no Brasil denominada de CH 25 anos Especial, do site Portal Chaves, também confirma a história (Clique aqui para saber).

Na minha opinião, é provável que tenha mesmo existido tal personagem chamado de Chapolão Preto. E o que prova isso são as gravações que já vinham acontecendo na TV Globo de sátiras dessas séries mexicanas e de produções de outras emissoras.

Em 1992, por exemplo, apareceu na Escolinha do Professor Raimundo uma paródia de Chaves em que o ator Geraldo Alves (1935-1993) interpretava o garoto do barril - na paródia o nome completo do personagem é Chaves Ferrolho Fechadura. No site Fórum CH (Espaço dedicado a debater sobre as séries CH) há usuários que afirmam ter Geraldo Alves interpretado o mesmo Chaves no programa Os Trapalhões. Na ocasião, teria visitado a Agência Trapa Tudo (Alguns dizem que ele se hospedou no Trapa Hotel). Não posso confirmar a história, pois também não lembro de ter visto essa paródia. Ela também não está disponível na internet.

Geraldo Alves interpretando Chaves na "Escolinha do Professor Raimundo" (1992).

É importante lembrar que o Chaves de Geraldo Alves não foi o único. Os próprios Trapalhões fizeram uma sátira da telenovela Pantanal, sucesso da TV Manchete em 1990, e do Jô Soares Onze e Meia, quando o gordo estava no SBT. Realmente os tempos eram outros.

Hoje soa estranho a TV Globo fazer paródias de programas exibidos pelas emissoras concorrentes. Porém na época era algo, digamos, normal. O fato é que as séries mexicanas Chaves e Chapolin faziam tanto sucesso - e ainda fazem hoje - que chegavam a bater os índices de audiência da TV Globo. E nada melhor que pegar gancho desse sucesso e trazer para si uns pontinhos no Ibope, não é?

 

 

<- PARTE II  •   PARTE IV - >

 

 


Banner de divulgação (Tamanho 468x63)


© Copyright - Página feita no Brasil - Desde 15 de dezembro de 2008

Melhor visualização em telas de 1280x768