Curiosidades: parte I

 

Por que a Globo não exibe mais Os Trapalhões?

No Brasil, o programa Os Trapalhões acabou em 1995. Desde então, a TV Globo passou a transmitir reprises do programa com quadros dos anos 1970 aos anos 1990, sem qualquer continuidade entre um e o outro.

Em meados do ano 2000, a emissora carioca deixou de transmitir as reprises e os fãs só puderam ver o quarteto novamente em suas fitas VHS, em DVDs (Os lançados pela Globo e os dos fãs que verteram os VHS com quadros do programa para formato digital) e, mais recentemente, em vídeos do Youtube e no site GloboVideos.com.

Na realidade, existem várias versões/hipóteses para a TV Globo não exibir mais Os Trapalhões. Abaixo, três delas:

1. BRIGAS POR DIREITOS AUTORAIS

Depois das mortes de Zacarias (1990) e Mussum (1994), seus familiares passaram a cobrar da Globo o dinheiro dos direitos autorais das retransmissões do programa - até 2000 - em todo o Brasil, bem como a utilização da imagem dos dois humoristas. A Globo só pagava às famílias dos humoristas as reprises no Rio de Janeiro, mas não as retransmissões no restante do Brasil. É provável que a emissora tenha se cansado das ações judiciais e, para evitá-las, resolveu interromper as retransmissões do programa. Com isso, caso a Globo perca a pendência judicial, evitará também um possível aumento do dinheiro cobrado pelos familiares de Mussum e Zacarias no processo. A ação segue ainda na Justiça.

2. O PADRÃO GLOBO DE QUALIDADE

Atualmente existe uma regra implícita (?) na Globo de valorizar a contínua produção de programas evitando-se ao máximo as retransmissões de programas da emissora. As reprises se limitariam, hoje, ao canal pago Viva e ao Vale a Pena Ver de Novo. Neste último, há a reexibição de telenovelas da emissora feitas até, no máximo, 10 anos atrás para evitar que a maioria dos telespectadores identificassem alguma diferença entre as antigas e novas produções. Como Os Trapalhões foram feitos entre as décadas de 1970 e 1990, a diferença da qualidade da produção da Globo ficaria evidente demais aos telespectadores.

3. O HUMOR POLITICAMENTE INCORRETO DO GRUPO

Em quase todos os quadros do quarteto é possível encontrar piadas referentes a homosexuais, negros, mulheres etc. Era uma outra época em que não existia uma censura velada ao humor. Nos tempos atuais da patrulha - chata - do politicamente correto, este tipo de humor seria fortemente criticado.

Quando os Trapalhões entraram no Guinness?

 

Em 1997, o Guinness World Records (O Livro Guinness dos Recordes Mundiais) estabeleceu que Os Trapalhões foram o grupo humorístico que mais tempo ficou junto em uma emissora de televisão.

Se contarmos a partir de 1966 (Com a dupla Didi e Dedé formando Os Trapalhões) até 1995 (Ano em que o grupo acabou) são exatos 29 anos fazendo humor na televisão brasileira. Se juntarmos ainda os 2 anos com o programa em Portugal (1995-1997) tem-se o total de 31 anos com a marca Os Trapalhões.

Os Trapalhões

Chespirito (Chaves, Chapolin etc.)

Friends

1966-1997 (31 anos)

(BRASIL)

1968-1994 (26 anos)

(MÉXICO)

1994-2004 (10 anos)

(ESTADOS UNIDOS)

 

Qual a origem do nome Mussum?

Um dos quadros do humorístico Bairro Feliz (1965-1966, Globo) trazia uma escola de samba onde Grande Otelo era acompanhado pelo grupo Originais do Samba. Um dos integrantes do grupo era o cabo da Aeronaútica Antonio Carlos Bernardes Gomes, que atuava no programa sem que seus superiores soubessem. Por esse motivo, mantinha-se escondido o máximo possível nas cenas.

No entanto, em uma das cenas do humorístico - feito ao vivo -, Grande Otelo havia deixado cair um livro onde dentro estava o script. O sambista/cabo - escondido neste momento - não conteve o riso. Otelo virou a ele e disse: "Tá rindo de quê, ô muçum?".

Muçum é o nome de uma enguia (Tipo de peixe muito comum nos rios sul-americanos e, muitas vezes, confundido com uma cobra) preta, sem patas e sem escamas, uma alusão que Otelo fez à cor do sambista. Conta-se que ficou irritado durante semanas com o apelido, mas logo o adotou como nome artístico, apenas trocando o cedilha por dois "s" ficando Mussum.

 

Xuxa já foi figurante em os Trapalhões?


Xuxa como figurante em um quadro dos Trapalhões de 1981.

Em 1981, um quadro dos Trapalhões trazia Didi como um garçom de um bar e Dedé, Mussum e Zacarias como clientes que hora por outra soltavam alguma piadinha. Além deles, trazia como figurante ninguém menos que Xuxa. Na ocasião, a loira apenas bebeu um refresco ao lado de um outro figurante e soltou algumas gargalhadas. Em outro quadro também de 1981, a loirinha aparece outra vez como figurante em um saloon do velho-oeste.

Essas participações são anteriores ao polêmico filme Amor estranho amor, onde ela atua em cenas eróticas com Marcelo Ribeiro (Na época da filmagem tinha 12 anos). O filme foi lançado em 1982, mesmo ano em que posaria nua para a Playboy (Dezembro/1982). Um ano depois, estreou como apresentadora do programa infantil Clube da Criança, na extinta Manchete.

A cena de Xuxa no bar como figurante nos Trapalhões nos anos 1980 apareceu no Vídeo Show dos anos 1990. Miguel Falabella - apresentador do programa na época - apresentou artistas em pequenas participações antes de adquirirem a fama. Esse vídeo foi colocado no Youtube por José Marques Neto, dono do site MofoTV e detentor de um grande acervo de vídeos da televisão brasileira.


Xuxa (De vermelho) como figurante
em um quadro dos Trapalhões de 1981.

Que outro programa Roberto Guilherme atuou além dos Trapalhões?


Roberto Guilherme e Costinha no Apertura da TV Tupi.

Em 1977, Os Trapalhões saíram da Tupi e ingressaram na Globo. No entanto, o ator Roberto Guilherme, que incorporava o grupo, permaneceu mesmo foi na emissora dos Diários Associados. No ano de 1980, estrearia um novo programa humorístico, o Apertura, ao lado de ilustres comediantes como Viana Junior (Ator que interpretou o Apolonio ao lado da Velha Surda na "Praça da Alegria" e, depois, em "A Praça é Nossa"), Tutuca (Famoso pelo personagem Seu Menezes que vivia flertando Dona Dadá também em "A Praça é Nossa"), Costinha e Roni Rios (Intérprete da Velha Surda na "Praça da Alegria" e em "A Praça é Nossa").

O programa prometia ser uma das maiores sensações da Tupi, já à beira da falência naquele ano de 1980. Segundo matéria do Jornal do Brasil de 1° de fevereiro de 1980, o humorístico estrearia no dia 26 de fevereiro. No entanto, duraria pouco tempo. Isso porque a Tupi perderia sua concessão em 18 de julho daquele ano.

Um ano mais tarde, o SBT/TVS de Silvio Santos, que havia ganho algumas concessões da Tupi (No total, quatro canais), aproveitou a maioria dos funcionários da extinta emissora, bem como os programas. E o "Apertura" seguiu pela emissora paulista.

Porém, Roberto Guilherme não seguiu com o humorístico. Retornou em 1982 aos Trapalhões interpretando o Sargento Pincel.

Jaime Filho Rei, Tutuca e Viana Junior: humoristas do Apertura em chamada da TV Tupi.

 

Quais foram as tentativas internacionais dos Trapalhões?

Terence Hill, Bud Spencer e Cantinflas

Nos anos 1980, os Trapalhões já vinham tentando fazer gravações no exterior, seja em cenários ou com atores estrangeiros. Em Os Saltimbancos Trapalhões (1981), o quarteto gravou cenas em estúdios de Hollywood/Los Angeles e com personagens clássicos como o Tubarão, de Steven Spielberg.

No entanto, algumas tentativas de gravações com atores estrangeiros nunca saíram do papel. Entre elas estava um projeto em que Cantinflas contracenaria com o quarteto em um filme. Em outro, a dupla Bud Spencer e Terence Hill, famosos pelo seriado Trinity, eram o alvo da trupe. Os dois até participaram do programa os Trapalhões em 1984, mas o projeto do filme não vingou.

 

PARTE II ->

 

 


Banner de divulgação (Tamanho 468x63)


© Copyright - Página feita no Brasil - Desde 15 de dezembro de 2008

Melhor visualização em telas de 1280x768